O PLANO CARTESIANO

Palavras-chave - Plano cartesiano, coordenadas.

Finalidades - Compreender o funcionamento do Plano Cartesiano.

Materiais - Fita-cola de papel, marcador.

Descrição - Usando a ita-cola de papel o formador marca um grande Plano Cartesiano no chão (se possível, pelo menos 4m x 4m). O eixo X e o eixo Y e as direções positiva e negativa de ambos são marcados.

Se o piso tiver azulejos, o tamanho de um azulejo torna-se a unidade de medida do Plano Cartesiano. Se não houver azulejos, na ita-cola de papel os entalhes que indicam a passagem de uma unidade para outra são marcados em intervalos regulares.

4 pares participam em cada sessão. O resto do grupo age como uma audiência.

Cada par representa as coordenadas (X, Y) de um ponto no Plano Cartesiano. O formador desenha quatro cartões previamente preparados, nos quais estão escritas as coordenadas que serão os pontos de partida dos 4 pares. Os 4 pontos foram preparados de modo a ter um ponto para cada um dos 4 quadrantes, de modo a ter todas as combinações possíveis de coordenadas positivas e negativas: (+, +), (+, -), (-, +), ( -, -) (Por exemplo: (3, 2), (5, -3), (-1, 3), (-2, -4)). Cada um segue o Plano Cartesiano, decidindo qual dos dois representa o X e o Y. Dependendo do sinal da sua coordenada, cada participante terá um humor positivo ou negativo.

Quando todos os pares são colocados no Plano Cartesiano e entenderam o humor relativo pode começar a ação real. O formador anuncia o título da improvisação que os pares farão. Os pares, um de cada vez, terão que improvisar sobre o tema, com uma história que dura pelo menos alguns minutos. Os personagens envolvidos terão que improvisar, mantendo a fé no estado mental que deriva de sua posição no Plano Cartesiano (positivo ou negativo).

Duração - A partir de 45 minutos.

Variações - Pode-se pedir aos pares para improvisar a mesma história em 4 versões diferentes ou deixar a liberdade de improvisar 4 histórias diferentes.

Observações - É importante chegar a uma atividade deste tipo depoisde já ter experimentado no grupo os fundamentos da improvisação teatral. Na ausência de bases, a dificuldade de improvisar pode ser frustrante para os participantes.